Para crescer e se tornar um líder

Liderança não é só uma questão de cargo. É também postura de quem quer uma vida pessoal e profissional bem-sucedida

Se você prometeu mudanças para os próximos meses, chegou a hora de tomar decisões. E nem precisa se afastar do que faz hoje profissionalmente, basta focar em atitudes que mirem na postura de um verdadeiro líder. Sim, essa é a figura que faz a diferença nos dias de hoje, não apenas dentro das corporações. São pessoas seguras das próprias metas de vida que, segundo gestores de recursos humanos, conseguem trilhar uma carreira consolidada em qualquer ambiente de trabalho.

“A não realização das promessas de crescimento ocasionam um sentimento de grande frustração, desmotivando o profissional. Por isso, para planejar de forma eficiente e alcançar todas as metas, bem como ascender na vida, é muito importante buscar antes a autoliderança”, alerta a palestrante especializada em liderança intrapessoal, Luciana Passadori. De olho no medo comum de quem já se perguntou: “será que eu consigo?” ou “para onde eu quero chegar?”, ela sugere tomar algumas atitudes mais assertivas. “Eleve a autoestima e tenha confiança em si mesmo, a falta dela afasta o sucesso e impede de cumprir com os objetivos, ou seja, é preciso vencer as barreiras da insegurança. Também aumente sua capacidade de quebrar paradigmas e estar propenso a romper padrões preestabelecidos. Além disso, aumente sua capacidade de produzir melhores resultados, pois é comum as pessoas viverem em uma zona de conforto profissional e pessoal”, completa.

Outra dica valiosa é expandir a forma como se lida com os padrões emocionais e adquirir técnicas para ressignificá-los. Dessa forma, reconhecendo e controlando as emoções é mais fácil não se deixar abater por momentos desafiadores, às vezes difíceis. “Melhore a capacidade de adaptação e proatividade. às vezes, mudar não é só para o que se objetiva, mas também para rumos adversos. é a famosa resiliência, com capacidade de se adequar sem esperar ser forçado a isso”, aponta Passadori. É também comum ouvir dos aconselhadores de carreira que a pessoa não se divide em vida pessoal e profissional, como se cobrava tanto antigamente. Tudo acaba se conectando. Razão para essas duas rotinas merecerem cuidados e planejamentos.

Na prática, quando o mercado exige resultados concretos sobre o trabalhador, outras posturas também são avaliadas. Segundo Madalena Feliciano, gestora de carreira da Outliers Careers, é hora de ter uma visão mais ampla da própria atuação. “A verdadeira arte da liderança está em saber viver no presente com foco no futuro”, resume. Ela diz ainda que o ideal é manter a visão estratégica, ter prazer na profissão e na forma de trabalhar e se acostumar a inspirar e influenciar toda equipe a partir do próprio comportamento, exemplos e atitudes. Em seu livro “liderança tóxica”, da editora Alta Books, a jornalista Alessandra Assad alerta para a forma equivocada como alguns podem pensar sobre liderança. Segundo a autora, o chamado líder tóxico tenta reprovar e diminuir o outro, por ser uma pessoa que quer poder, controle e manipulação. Um comportamento que deve ser vigiado dentro e fora do ambiente corporativo.

Fonte: Folha de Pernambuco. Por: Edi Souza.